Goiás PDF Imprimir E-mail

Origem e Formação do nome

O nome do Estado origina-se da denominação da tribo indígena ‘guaiás’, que por corruptela se tornou Goiás. Vem do termo tupi gwa ya que quer dizer indivíduo igual, gente semelhante, da mesma raça.

História do Estado

Os colonizadores portugueses chegaram pela primeira vez na região hoje conhecida como o Estado de Goiás após quase um século do descobrimento do Brasil. As primeiras ocupações deveram-se a expedições de aventureiros bandeirantes provenientes de São Paulo, entre as quais destacou-se a de Bartolomeu Bueno da Silva, o Anhangüera, que seguia em busca de ouro, tendo encontrado as primeiras jazidas no final do século XVII.

Conta a lenda que diante da negativa dos índios de informar-lhe sobre o lugar de onde retiravam as peças de ouro com que se adornavam, Bartolomeu Bueno da Silva despejou aguardente num prato e a queimou, dizendo aos indígenas que o mesmo faria com a água de todos os rios e nascentes da região, caso não lhe fossem mostradas as minas.

Apavorados, os índios o levaram imediatamente às jazidas, chamando-o anhangüera, que significa feiticeiro no idioma nativo. Com esse nome Bartolomeu Bueno da Silva e seu filho passaram à história. Após esse fato, foram inúmeras as expedições que partiram em direção a Goiás em busca das riquezas do subsolo da região.

Em 1726, foi fundado, pelo próprio Bartolomeu Bueno, o primeiro vilarejo da região, denominado Arraial da Barra. Desde então, os povoados passaram a se multiplicar e a exploração do ouro atingiu seu auge na segunda metade do século XVIII.

A colonização de Goiás deveu-se também à migração de pecuaristas que partiram de São Paulo no século XVI, em busca de melhores terras para o gado. Dessa origem ainda hoje deriva a vocação do Estado para a produção pecuária.

Em 1744, a região onde hoje se encontra o Estado de Goiás, antes pertencente ao Estado de São Paulo, foi separada e elevada à categoria de província. A partir de 1860, a lavoura e a pecuária tornaram-se as atividades principais da região, ao mesmo tempo em que a atividade de mineração do ouro entrou em decadência devido ao esgotamento das minas.

A navegação a vapor e a abertura de estradas, no final do século XIX, possibilitaram o escoamento dos produtos cultivados no Estado, permitindo o desenvolvimento da região. No século XX, a construção da nova capital, Goiânia, deu grande impulso à economia do Estado, que deu sinais de novo surto de desenvolvimento com a criação de Brasília, a nova capital do Brasil, em 1960. Em 1988, o norte do Estado foi desmembrado, dando origem ao Estado do Tocantins.

Fonte: www.mre.gov.br


Dados Demográficos

Capital: Goiânia

Região: Centro-oeste

População: 5.619.917 (estimativa 2005)

Área: 340.117,6 km2

Densidade demográfica: 14,7 habitantes por km2

Número de municípios: 246

Vegetação: cerrado com faixas de floresta tropical

Clima: tropical

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,776 (2000)

Participação no PIB Nacional: 2,4%(2003)

Meio Ambiente

Salvo pequena área onde domina a floresta tropical, conhecida como Mato Grosso de Goiás, a maior parte do território do Estado de Goiás apresenta o tipo de vegetação escassa do cerrado, com árvores e arbustos de galhos tortuosos, cascas grossas, folhas cobertas por pêlos e raízes muito profundas.

Ao contrário das áreas de caatinga do Nordeste brasileiro, o subsolo do cerrado tem muita água, embora o solo seja ácido, com alto teor de alumínio, e pouco fértil. Por esse motivo, na estação seca parte das árvores perde as folhas para que suas raízes possam buscar a água existente no subsolo.

Culinária

A culinária do estado de Goiás é influenciada pela cultura indígena, portuguesa, paulista, mineira e negra. O grande destaque do estado é o pequi, fruto do cerrado, amarelo, de sabor forte e de ótimo aroma, e o palmito de guariroba.

O arroz, misturado a diversos ingredientes, é uma tradição que conta também com os peixes do Rio Araguaia em suas receitas. Entre alguns pratos de destaque temos: arroz com guariroba, arroz com pequi, conserva de pequi em óleo, empadão goiano, feijão de tropeiro, pamonhada, tigelada de guariroba, alfenins, ambrosia, figos goianos entre outros pratos típicos.

 
Quem somos | Termos de uso
Viajando pelo Brasil | Datas comemorativas | Sala dos professores

Copyright © 2018 - IBEP - Coleção Eu Gosto - Todos os direitos reservados Um produto Editora IBEP