Santa Catarina PDF Imprimir E-mail




Origem e Formação do nome

Cartas geográficas de navegadores de várias nacionalidades, escritas desde o início do século XVI, mencionam pontos que correspondem ao litoral catarinense. O mapa de Juan de la Cosa, piloto da expedição de Alonso de Ojeda assinala Sant´Ana, uma parte que corresponde litoral de Santa Catarina.

A expedição de Sebastião Caboto, italiano a serviço da Espanha, chegou ao litoral catarinense por volta de 1526 e, ao publicar seus mapas referentes àquela expedição, denominava a Ilha de Santa Catarina de porto dos Patos. Mas o nome de Santa Catarina - dado à ilha - aparece, pela primeira vez, no mapa-mundi de Diego Ribeiro, de 1529.

Há divergências quanto ao responsável pela denominação de Santa Catarina: alguns autores atribuem a Sebastião Caboto, que fizera a denominação em homenagem à esposa Catarina Medrano; outros querem que tenha sido em homenagem a Santa Catarina de Alexandria, festejada pela igreja em 25 de novembro.

Em 1541, aporta, ao continente fronteiro à ilha, a expedição de D. Alvar Nunes Cabeza de Vaca, comandante que intitula-se Governador de Santa Catarina, dada a sua nomeação, pelo rei da Espanha, para tomar posse das terras da Coroa.

Entretanto, a Ilha de Santa Catarina não foi o único ponto do litoral mencionado pelos primeiros navegadores que aqui aportaram. Em 1527, no planisfério anônimo de Weimar, apareceu a designação de Rio de São Francisco, correspondente à baía de Babitonga, que banha a península da atual São Francisco do Sul.

Dados: www.sc.gov.br

 

História do Estado

Em 1534, o território que hoje corresponde à Santa Catariana é doado a Pero Lopes de Sousa por Dom João III. Em 1658, é fundado o povoado de Nossa Senhora da Graça do Rio de São Francisco, seguido pelo de Nossa Senhora do Desterro, hoje Florianópolis.

Em 1738, é criada a capitania de Santa Catarina, tendo início a instalação de um sistema de defesa e um povoamento controlado, com a imigração de açorianos. Conquistada em 1777 pelos espanhóis, a região é devolvida aos portugueses no ano seguinte pelo Tratado de Santo Ildefonso.

As lutas políticas são freqüentes: a Revolução Farroupilha estende-se até a região onde, em 1839, é proclamada a República Juliana. A Revolução Federalista e a Guerra do Contestado são duramente reprimidas pelas tropas federais. Na segunda metade do séc. XIX, recebe levas de imigrantes europeus, principalmente alemães e italianos.

Fonte: www.mre.gov.br

 

Dados Demográficos

Capital: Florianópolis

Região: Sul

População: 5.866.568 (estimativa 2005)

Área: 95.285,1 km2

Densidade demográfica: 56,2 habitantes por km2

Número de municípios: 293

Vegetação: mangues no litoral, mata das araucárias no centro, campos a sudoeste e faixa da floresta a leste e a oeste.

Clima: subtropical

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,822 (2000)

Participação no PIB Nacional: 4,0% (2003)

 

Meio Ambiente

A diversidade geográfica e humana de Santa Catarina é surpreendente para um território de apenas 95,4 mil km² – tamanho aproximado de países como Áustria, Hungria, Irlanda ou Portugal.

O estado conta com oito estâncias hidrominerais, 14 áreas federais e 5 estaduais de proteção ambiental, além de dezenas de parques ecológicos municipais. Os 500 quilômetros de litoral são um paraíso para quem busca belas praias e o contato com a natureza.

A região, colonizada por açorianos no século XVIII, tem um relevo recortado, com baías, enseadas, manguezais, lagunas e mais de 500 praias. É, ainda, uma das mais importantes áreas de biodiversidade marinha do Brasil. As principais cidades são Florianópolis, São José, Laguna, Imbituba, Itajaí, Balneário Camboriú e São Francisco do Sul.

A pesca e o turismo são atividades econômicas marcantes. O clima mesotérmico predominante em Santa Catarina proporciona temperaturas agradáveis, que pode variar de 13 a 25° C, com chuvas distribuídas durante todo o ano.

Ao contrário da maior parte do território brasileiro, aqui as quatro estações são bem definidas. Os verões são quentes e ensolarados. E, na região do Planalto Serrano, com altitudes que atingem 1.820 metros, há a maior ocorrência de neve no inverno brasileiro.

O solo catarinense presta-se às mais diversas culturas agrícolas e ainda tem muitas áreas a cultivar. Seu subsolo é um dos mais ricos do país. Santa Catarina possui a terceira maior reserva de argila cerâmica do Brasil, a segunda maior de fosfatados naturais e de quartzo e a primeira em carvão mineral para siderurgia, de fluorita e de sílex. Todas essas reservas são economicamente viáveis e estão em processo de produção.

 

Culinária

A culinária do Estado de Santa Catarina recebeu muita influência européia, mantida até hoje, principalmente de italianos, portugueses, alemães, poloneses e ucranianos que participaram da colonização do Estado.

Entre alguns pratos típicos, podemos destacar: buzo ao bafo, lagosta ensopada, lula recheada, ostras ao vinagrete, tainha recheada com ovos, bolo de mel, geléia de morango, kutiá, torta doce de ricota, vareniquê (pastel cozido), entre tantos outros pratos da região.

 
Quem somos | Termos de uso
Viajando pelo Brasil | Datas comemorativas | Sala dos professores

Copyright © 2018 - IBEP - Coleção Eu Gosto - Todos os direitos reservados Um produto Editora IBEP