Junho PDF Imprimir E-mail

05- Dia Mundial do meio Ambiente

Meio ambiente é um termo que engloba tanto a paisagem de uma região do mundo como as condições que influem no tipo de vida que podem levar ali as pessoas, os animais e as plantas.
O Dia Mundial do Meio Ambiente é lembrado em todos os países desde que a Organização das Nações Unidas (ONU) realizou a primeira conferência sobre este tema – ambiente humano – em 1972, conhecida como Conferência de Estocolmo.

No dia 5 de junho muitas pessoas e organizações celebram, o milagre da vida e a beleza da natureza, de várias maneiras, com paradas e concertos, competições ciclísticas, lançamentos de campanhas de limpeza nas cidades etc.

Essas celebrações são também atos políticos, chamando a atenção para os problemas e riscos que corremos com a degradação, a poluição e o desrespeito ao ambiente em que vivemos.

A Constituição brasileira diz que todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, essencial a uma qualidade de vida sadia, e que todos os cidadãos e o poder público devem preservá-lo e defendê-lo para as presentes e futuras gerações.

Cuidar do ambiente significa comprometer-se em preservar, evitando qualquer interferência humana, bem como conservar, usando com responsabilidade para que mantenha a sua capacidade de se regenerar, sem perder a sua vitalidade e a diversidade de suas espécies; significa encontrar formas e áreas de preservação, conservação e desenvolvimento sustentável.

Sugestão de leitura: Baltazar e a casa dos animais

de Emma Kelly e Marie-Hélène Place, Companhia Editora Nacional.
Depois de ver fotos da viagem de tia Amélia, Baltazar descobre que quer ser zoólogo.

Ao cuidar de alguns animais que vivem em sua casa, ele aprende algo muito importante sobre a natureza.

 

10- Dia da Língua Portuguesa

O mundo que fala português, chamado lusófono, tem atualmente 250 milhões de pessoas, das quais 80% estão no Brasil. É a quinta língua mais falada do planeta e a terceira mais falada entre as línguas ocidentais, depois do inglês e do castelhano. Por essa importância, seu ensino é obrigatório nos países que compõem o Mercosul.

O português é a língua oficial em Portugal, Ilha da Madeira, arquipélago dos Açores, Brasil, Moçambique, Angola, Guiné-Bissau, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe e, também, embora não oficialmente, é falado por uma pequena parte da população de Macau (território chinês que foi administrado pelos portugueses até 1999), no estado de Goa, na Índia (que foi possessão de Portugal até 1961) e no Timor Leste, na Oceania (administrado pelos portugueses até 1975, quando foi tomado pela Indonésia e, atualmente, administrado pela ONU).

O fato de a língua portuguesa estar espalhada pelos continentes se deve à política expansionista de Portugal, nos séculos XV e XVI, levando para as colônias essa língua tão rica, que se misturou a crenças e hábitos muito diversos, e acabou simplificada em vários dialetos chamados de “crioulos” nas colônias européias de além-mar.

Do século IX ao XII, aparecem registros de alguns termos portugueses em escritos, mas o português era basicamente uma língua falada. O português em Os Lusíadas, de Luís de Camões – referenciado como o maior poeta da língua portuguesa –, em 1572, é muito próximo do português atual por sua semelhança na estrutura da frase e no aspecto formal das palavras.

A existência de duas maneiras de escrever as palavras oficiais da língua portuguesa, a lusitana e a brasileira, tem sido motivo de várias tentativas de unificação da língua, o que é considerado como importante para a própria valorização do idioma.

A Academia Brasileira de Letras e a Academia das Ciências de Lisboa vêm trabalhando em vários acordos ortográficos entre Portugal e Brasil. Em 1971, no Brasil, e, em 1973, em Portugal, foram promulgadas leis que diminuíram, mas não acabaram com as divergências ortográficas entre os dois países.

 

12- Dia dos namorados

O Dia dos Namorados é comemorado no mundo todo em 14 de fevereiro e conhecido como Valentine’s Day. No Brasil, inspirada nessa tradição, a festa ocorre no dia 12 de junho, véspera do dia de Santo Antônio, considerado o “santo casamenteiro” e “padroeiro dos namorados”.

Porém, a explicação para a escolha desse dia não é romântica. Precisando melhorar as vendas do comércio em junho, mês considerado fraco, que depois das vendas para a festa do dia das mães, quase sucumbia até agosto, quando os pais são lembrados, uma loja de departamentos contratou uma agência de propaganda.

Em 1949, o publicitário João Dória elaborou uma campanha inspirada no Valentine’s day, um sucesso no comércio dos países que comemoravam a data, lançando o slogan “não é só de beijos que se prova o amor”, incentivando a troca de presentes e instituindo o dia dos namorados.

O resultado foi bastante satisfatório para os comerciantes que vibram até hoje, pois a festa tornou-se parte integrante do calendário das tradições brasileiras.

Sugestão de leitura: O mocinho, a mocinha e o vento bandido

de Odette de Barros Mott, Companhia Editora Nacional.
As desventuras do herói Mocinho em busca de sua namorada Mocinha, que foi raptada pelo Vento Bandido.

Mocinho encontrará Mocinha a tempo? Um conto escrito de forma poética por Odette de Barros Mott para entreter crianças e jovens.

 

25- Dia do Imigrante

O Dia do Imigrante é comemorado em 25 de junho, em homenagem àquelas pessoas que vivem num país que não é o seu país de origem.
São muitos os fatores que levam uma pessoa a imigrar, saindo do país onde nasceu para viver em outro país, muitas vezes com culturas e idiomas diferentes. 

A oportunidade de fazer cursos, o espírito de aventura, a fome, a guerra, motivos políticos, a busca de empregos e de uma melhor qualidade de vida são os motivos mais comuns.
Diariamente convivemos com representantes de diversos povos do mundo inteiro e seus descendentes, com características físicas e culturais diversas daquelas que são comuns aos brasileiros, mas que um dia chegaram ao Brasil, trazendo seus costumes, suas crenças e suas idéias e fizeram dele sua pátria.
Na cidade de São Paulo, foi construída e inaugurada a ‘hospedaria do imigrante” durante a presidência do conde de Parnaíba que, em execução à lei de 21 de março de 1885, foi destinada a receber os imigrantes procedentes de outros países ou de outros estados da União.

Nesse prédio foi criado em 1998 o Memorial do Imigrante, composto pelo Museu da Imigração, pelo Centro de Pesquisa e Documentação e pelos núcleos dos Transportes e de Estudos e Tradições.

O Museu da Imigração, fundado em 1993. Com o propósito de preservar e divulgar a importância da imigração nas origens históricas da cidade e do país, exibe móveis, documentos, fotografias e o registro de todos os imigrantes que passaram por lá.  

 

26- Dia Internacional Contra as Drogas

O dia 26 de junho foi designado pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o “dia internacional da luta contra o uso e o tráfico de drogas”. No Brasil, foi adotado o “dia nacional de combate às drogas”, devido à gravidade e às proporções do problema, um desafio para a saúde pública no país.
Todos os países do mundo convivem com o problema das drogas; a cada dia o consumo aumenta e os chamados “cartéis”, com suas rotas de contrabando e seus “funcionários” não param de crescer.

Autoridades governamentais investem enormes quantias para tentar reduzir o uso de drogas e acabar com o seu fornecimento, diante da situação alarmante do aumento do vício e do contrabando.

Esse problema que atinge a sociedade e principalmente os jovens, tanto das grandes cidades como das regiões mais afastadas dos centros urbanos, de todas as camadas sociais, exige um enorme esforço de toda a sociedade para combatê-lo.

O melhor caminho é a prevenção; essa estratégia preventiva começa na família e nas salas de aula, mas o apoio às iniciativas que reeducam e reintegram os jovens ao convívio social, livres do vício e da violência, é de suma importância.

 

Festas Juninas

A tradição de celebrar o mês de junho é antiga. Rituais pagãos com fogueiras, danças e muita comida faziam parte das festividades no início da colheita, há mais de dois mil anos.

Nos países católicos da Europa, as festas juninas são uma tradição desde o século IV. Em homenagem a São João, santo que sempre teve mais devotos no continente europeu, as festas receberam o nome de festas joaninas.
As festas juninas foram trazidas para o Brasil pelos portugueses, no século XVI, como uma forma de agradecer pelas colheitas e também para homenagear os santos de junho, Santo Antônio no dia 13 de junho, São João no dia 24 de junho e São Pedro no dia 29 de junho.

Desde então, pertencem ao folclore brasileiro e fazem parte do calendário das festas nacionais. O espaço onde se reúnem todos os festejos desse período é chamado de arraial e é geralmente decorado com bandeirinhas de papel colorido, balões e palha de coqueiro.

No arraial acontecem as brincadeiras, os forrós, bingos e os casamentos caipiras durante a dança das quadrilhas típicas. Não pode faltar o quentão, o vinho quente, os doces de milho verde, como pamonha, mungunzá (NE) ou canjica, paçoca, pipoca, pé-de-moleque, bolo de fubá, curau, tapioca e tantos outros.

 

 
Quem somos | Termos de uso
Viajando pelo Brasil | Datas comemorativas | Sala dos professores

Copyright © 2018 - IBEP - Coleção Eu Gosto - Todos os direitos reservados Um produto Editora IBEP