Mato Grosso PDF Imprimir E-mail



Origem e Formação do nome

"Mato Grosso” é referência à grande extensão de mato alto, espesso e quase impenetrável, localizado às margens do rio Galera, percorrido pela primeira vez em 1734 pelos irmãos Paes de Barros.

Acostumados a andar pelos cerrados do chapadão dos Parecis, onde havia apenas algumas ilhas de arbustos agrestes, os irmãos aventureiros ficaram impressionados com a altura e o porte das árvores, com o emaranhado da vegetação secundária que dificultava a penetração e com a exuberância da floresta.

 

História do Estado


Pelo Tratado de Tordesilhas, de 7 de junho de 1494, pertencia à Espanha. O português Pedro Aleixo foi o primeiro a explorar a região, em 1525. No início do século XVII, jesuítas espanhóis fundaram aldeias de missões entre os rios Paraná e Paraguai.

O ouro atrai bandeirantes e aventureiros, acelerando o povoamento. Portugal cria a capitania de Mato Grosso em 3 de maio de 1748, expandindo seus domínios. Para protegê-la das ameaças indígena e espanhola, são construídas vilas e fortes.

Assim, oprogresso vem rápido e Espanha e Portugal definem as fronteiras do território nos tratados de Madri e de Santo Ildefonso, firmados respectivamente em 1750 e 1777. No início do século XIX, a produção de ouro diminui, a economia entra em decadência e a população pára de crescer.

Em 1892, civis e militares iniciam um movimento separatista contra o governo do Presidente Floriano Peixoto. A revolta é reprimida. Disputas entre as regiões norte e sul do Estado levam à intervenção federal, em 1917. Na primeira metade do século XX, o Estado volta a crescer com a chegada dos seringueiros, criadores de gado e exploradores de erva-mate.

Dados Demográficos

Capital: Cuiabá

Região: Centro-oeste

População: 2.803.274 (estimativa 2005)

Área: 903.386,1 km2

Densidade demográfica: 2,8 habitantes por km2

Número de municípios: 139

Vegetação: cerrado na metade leste, floresta amazônica a noroeste, pantanal a oeste.

Clima: tropical

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,773 (2000)

Participação no PIB Nacional: 1,5% (2003)

 

Meio Ambiente


O pantanal cobre 10% da área do Estado do Mato Grosso e abriga quase mil espécies animais. A vegetação do cerrado ocupa 40% desse território com altitude média de 600 metros, enquanto a floresta amazônica se estende ao norte por metade do Estado.

Em 2001, o pantanal mato-grossense recebe da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) o título de patrimônio da humanidade.

O Parque Nacional da Chapada dos Guimarães é um dos principais pontos turísticos do Estado. Com altitude média de 860 metros, ele abriga cânions, cascatas, cavernas e sítios arqueológicos.

Culinária

A culinária mato-grossense é a mais rica em peixes da região Centro-Oeste. Diversos peixes são utilizados na preparação de alguns pratos como o pacu, a piraputanga, a pacubeba, o paibucu, o curimbatá, o dourado, o cachara, o barbado, a jurupoca e o jaú.

A pimenta-malagueta também é usada em grande escala. Entre os pratos típicos da região, podemos destacar o arroz de coco, o buré, o pacu assado e recheado, o vatapá e entre os pratos doces temos a banana-da-terra caramelada, a banana frita com açúcar e canela, o bolo de arroz, o furrundum e o pudim de banana-da-terra.

 

 

 

 

 

 
Quem somos | Termos de uso
Viajando pelo Brasil | Datas comemorativas | Sala dos professores

Copyright © 2018 - IBEP - Coleção Eu Gosto - Todos os direitos reservados Um produto Editora IBEP