Minas Gerais PDF Imprimir E-mail



Origem e Formação do nome

O nome desse estado deve-se ao fato de ser abundante em minas dos mais diversos elementos.
O adjetivo “gerais”, foi unido para colocar em evidência a oposição entre as minas particulares e não particulares; eram particulares as minas dos rios das Velhas, das Mortes e dos Caetés.

 

História do Estado

A ocupação histórica do Estado de Minas Gerais foi realizada por grupos de bandeirantes paulistas que se dirigiam para o interior, no século XVI, em busca de metais e pedras preciosas.

Entre fins do século XVII e princípios do século XVIII, começaram a aparecer os primeiros povoados na região de montanhas e minério ocupadas pelos paulistas. Em 1693, grandes quantidades de ouro foram encontradas na região próxima ao local onde hoje se situa a cidade de Belo Horizonte, fato que gerou confrontos sangrentos e disputas diversas.

O mais grave de tais incidentes ficou conhecido como Guerra dos Emboabas, um enfrentamento ocorrido em 1708, entre paulistas, portugueses (os chamados emboabas) e mineradores de várias partes do País (os chamados sertanejos). Para melhor administrar a região, criou-se em 1709 a capitania de São Paulo e Minas de Ouro.

Em 1720, no entanto, Minas separou-se de São Paulo, tornando-se uma capitania independente, com sede na cidade de Vila Rica, atual Ouro Preto. A existência de abundantes riquezas minerais na região deu origem ao nome do Estado.

Fonte: www.mre.gov.br

 

Dados Demográficos

Capital: Belo Horizonte

Região: Sudeste

População: 19.237.450 (estimativa 2005)

Área: 586.552,4 km2

Densidade demográfica: 30,5 habitantes por km2

Número de municípios: 853

Vegetação: floresta tropical, a maior parte com faixa de cerrado a nordeste

Clima: tropical

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,773 (2000)

Participação no PIB Nacional: 9,3% (2003)

Meio Ambiente

Seu relevo caracteriza-se pela existência de planaltos, com grande extensões planas ou com pouca ondulação. Mais da metade de suas terras está acima de 600 metros de altitude correspondendo às Serras da Mantiqueira e do Espinhaço.

O Pico da Banceira, com 2.889 metros de altura, localizado na Serra do Caparaó é o ponto mais elevado do Estado. Tem excelente potencial hídrico sendo seus rios principais o São Francisco, onde encontra-se a Barragem de Três Marias, o Jequitinhonha, o Doce, o Grande, o Paranaíba, o Mucuri e o Pardo e um subsolo rico em minerais, como minério de ferro, manganês, bauxita, calcário e muitos outros.

A Bacia do Paraná, que banha parte do oeste, todo o Triângulo Mineiro e o chamado sul de Minas não inclui o Rio Paraná, mas apenas seus formadores, os Rios Paranaíba e Grande, e afluentes. Toda a rede hidrográfica estadual obedece a regime tropical com cheias no verão. Apenas uma pequena parcela de seus rios é navegável.

O São Francisco é navegável de Pirapora até Juazeiro (BA). Apresenta clima tropical com chuvas de verão e invernos secos nas porções mais baixas do Estado e na Zona da Mata e o tropical de altitude, no centro e no sul do Estado, com verão ameno e inverno seco, a vegetação é floresta tropical e as temperaturas podem chegar a graus negativos.

A região norte do Estado é marcada pelo calor intenso, identificando-se mais com o sertão nordestino não só pelo clima mas também pelas características das atividades agropecuárias. A vegetação é a caatinga.

Dados: www.brasilchannel.com.br

 

Culinária

A culinária de Minas Gerais tem origem na época da corrida do ouro e foi influenciada pelos portugueses, africanos e índios.

O feijão-de-tropeiro era a alimentação básica dos homens que transportavam mercadorias e o angu era muito utilizado nas senzalas.

A comida destaca-se pela grande variedade e qualidade de seus doces. O norte do Estado sofre forte influência do sertão baiano.

 
Quem somos | Termos de uso
Viajando pelo Brasil | Datas comemorativas | Sala dos professores

Copyright © 2018 - IBEP - Coleção Eu Gosto - Todos os direitos reservados Um produto Editora IBEP